PÁGINA INICIAL
  Bate-Papo
  Jogos Online
  NOTÍCIAS DE CAPA
  O MUNDO
  BRASIL
  POLÍTICA
  CRESCIMENTO PESSOAL
  MEIO AMBIENTE
  BONS NEGÓCIOS
  CIDADE
  NOSSA GENTE
  CULTURA
  FOTOS DE SERRA TALHADA
  ESTUDANTES NA REDE
  CÂMARA DOS DEPUTADOS
  TRADUTOR DE LÍNGUAS
  LISTA TELEFÔNICA
  FALE CONOSCO
  LOGIN
  WEBMAIL
          SITES ÚTEIS
Genealogia Pernambucana
Site Política para Políticos
Site Gramsci
Jornal do Comércio
Concursos Públicos
Site Jurídico.com
Site Jornal Digital
Site Correio da Cidadania
Site Carta Capital
Site Caros Amigos
Site Futbrasil.com
História de Serra Talhada
Site da IstoÉ
Site Veja Online
Site O Dia
Estatística do site
Casa da Cultura Serra Talhada
Busca de CEP
Trabalhos Escolares
Rádio Cultura FM
Rádio Lider do Vale FM
Rádio Vilabela FM
Rádio Serra Talhada FM
Rádio Nova Gospel
Rádio A Voz do Sertão
Getúlio Dornelles Vargas

Por: Deputado INOCÊNCIO OLIVEIRA
O Estado Novo autoritário implantado por Getúlio Vargas hoje pertence ao julgamento da história.
O Sr. INOCÊNCIO OLIVEIRA OLIVEIRA (PFL/PE pronuncia o seguinte discurso.) – Sr. Presidente, Sras. e Srs. Deputados: Estadista, reformador social, idealizador e condutor de partidos, líder popular carismático, o presidente Getúlio Dornelles Vargas está consagrado na memória nacional como um dos principais personagens da história brasileira. Principal articulador da Revolução de 1930, Vargas suplantou as oligarquias da República Velha e conduziu o Brasil à era da Revolução Industrial. Com a ruptura institucional da República Velha, assume o poder num governo provisório e em 1934 é eleito presidente por uma Assembléia Nacional Constituinte. Do ponto de vista econômico e social, a realidade emergente transformou o Brasil num País urbano, quando antes era considerado um País rural, face ao predomínio da agricultura e da pecuária.
Numa época conturbada por conspirações e os fantasmas de golpes integralistas e comunistas, Vargas empalma o poder com mão de ferro e em 1937 inaugura uma nova era institucional ao decretar o Estado Novo, centralizador e autoritário e com apelos populistas. São registrados nessa época os rigores da censura e a supressão de liberdades democráticas, mas também deve ser assinalado que com seus poderes autoritários o presidente Getúlio Vargas criou a Justiça do Trabalho e consolidou conquistas das classes trabalhadores, assalariados e minorias sociais. Um capítulo histórico a ser lembrado é que as mulheres conquistaram o direito de voto após a Revolução de 1930, assim como aboliu-se o chamado voto a bico de pena, voto a descoberto, e foi adotado o voto universal livre e secreto.
O Estado Novo autoritário implantado por Getúlio Vargas hoje pertence ao julgamento da história. Depois de legar avanços sociais e criar a estatal Companhia Siderúrgica Nacional, ponto de partida para a industrialização do Brasil, e, posteriormente, a Companhia Vale do Rio Doce, o Estado Novo exauriu-se a si mesmo e abriu caminho para a Redemocratização de 1946. Em 1945, foi criada a Companhia Hidrelétrica do São Francisco (Chesf), um marco na vida sócio-econômica e industrial do Nordeste. Deposto do poder na chamada “Primavera Democrática” de 1946, Getúlio Vargas recolheu-se ao seu exílio e ao pastoreio de ovelhas em seus domínios gaúchos de São Borja.
A marca indelével de Vargas havia ficado na história política do País e em 1950 ele retorna triunfante ao poder, eleito presidente da República em disputa com o Brigadeiro Eduardo Gomes. “O sorriso do velhinho faz a gente trabalhar”, dizia o refrão popular. Ao assumir o poder no ano seguinte, dá prosseguimento ao programa de industrialização do País e ao ideário nacionalista. A criação do Bando Nacional de Desenvolvimento Econômico, o atual BNDES, constitui uma iniciativa emblemática na trilha desenvolvimentista que se almejava explorar. No governo de Getúlio Vargas a partir dos anos 1950 é que se desenvolve com mais intensidade a campanha “O petróleo é nosso”. Eis que o presidente Getúlio Vargas instalou a Petrobrás e decretou o monopólio estatal na exploração do petróleo.
Numa perspectiva histórica, certamente pode ser dito com propriedade que o avanço político do Brasil com a Revolução de 1930, as conquistas sociais e criação da Justiça do Trabalho na década de 1940, a implantação da indústria de base rumo à industrialização e a implantação da Petrobrás na década de 1950 configuram a vocação de estadista do presidente Getúlio Dornelles Vargas.
O tiro no peito que o retirou da cena política nacional projetou a sua dimensão histórica acima das ambições do poder e revelou a crueldade a quem se expõem os patriotas e defensores das causas públicas de cidadania. O legado da era Vargas ainda hoje perdura no arcabouço institucional e político do Brasil.
A política e a vida são mutantes pela própria natureza, mas ao mesmo conservam a essência dos princípios de dignidade e evolução.
Nós os homens públicos de hoje reverenciamos e rendemos homenagem a um brasileiro que pertence à galeria dos grandes homens que lutaram e viveram em defesa do desenvolvimento, das conquistas sociais, do nacionalismo e do patriotismo. A “Carta-Testamento” do presidente Getúlio Vargas equivale a um monumento de patriotismo, espírito público e honradez.
Muito obrigado!
Sala das Sessões, em 25 de agosto de 2004.

Deputado INOCÊNCIO OLIVEIRA

© Copyright  Mário Olímpio 2003-2014
INDEXBrasil - Serviços de Internet.
Todos os direitos reservados, permitida a cópia de
conteúdos, desde que divulgada a fonte.
e-mail:redacao@serratalhada.net