PÁGINA INICIAL
  Bate-Papo
  Jogos Online
  NOTÍCIAS DE CAPA
  O MUNDO
  BRASIL
  POLÍTICA
  CRESCIMENTO PESSOAL
  MEIO AMBIENTE
  BONS NEGÓCIOS
  CIDADE
  NOSSA GENTE
  CULTURA
  FOTOS DE SERRA TALHADA
  ESTUDANTES NA REDE
  CÂMARA DOS DEPUTADOS
  TRADUTOR DE LÍNGUAS
  LISTA TELEFÔNICA
  FALE CONOSCO
  LOGIN
  WEBMAIL
          SITES ÚTEIS
Genealogia Pernambucana
Site Política para Políticos
Site Gramsci
Jornal do Comércio
Concursos Públicos
Site Jurídico.com
Site Jornal Digital
Site Correio da Cidadania
Site Carta Capital
Site Caros Amigos
Site Futbrasil.com
História de Serra Talhada
Site da IstoÉ
Site Veja Online
Site O Dia
Estatística do site
Casa da Cultura Serra Talhada
Busca de CEP
Trabalhos Escolares
Rádio Cultura FM
Rádio Lider do Vale FM
Rádio Vilabela FM
Rádio Serra Talhada FM
Rádio Nova Gospel
Rádio A Voz do Sertão
AMBIENTE SAUDÁVEL

Por: Alfredo José Barreto LuizPesquisador do CNPMA
Se cada um fizer a sua parte, começando em casa, com certeza este futuro existirá.
Ambiente saudável: faça você mesmo!!

O cidadão comum tem muito pouco poder de influenciar na aprovação de verbas ou leis que alterem significativamente as questões ambientais (mineração, poluição industrial, construção de estradas, agricultura, parques e reservas naturais, recuperação de rios, entre outras). As decisões sobre estes temas são tomadas no dia-a-dia pelos políticos, enquanto nós só votamos esporadicamente e quase nunca tendo informação precisa e suficiente sobre como este ou aquele candidato agiu ou vai agir frente a estes temas. Como então exercer legitimamente nosso direito a um ambiente mais saudável para nós e nossos filhos? Algumas simples atitudes caseiras podem ter enorme efeito sobre o ambiente. Vejamos alguns exemplos:Você, que mora e trabalha na cidade, já pensou que a Reforma Agrária pode afetar sua qualidade de vida? Sim, pois o trabalhador rural, se não encontra serviço ou não tem terra própria para trabalhar no meio rural, migra para a cidade, e vem concorrer por vagas nas escolas e hospitais públicos, procurando emprego, fazendo crescer as favelas, ou seja, toda a infra-estrutura que foi planejada e construída para os contribuintes da sua cidade agora terá de atender também a este novo contingente de seres humanos extremamente necessitados de tudo e pouco preparados para o meio urbano. Pois bem, se você acha então que é melhor que o agricultor continue fazendo o que sabe - produzir alimentos e matérias-primas - no lugar onde nasceu e tem suas raízes culturais, contribua da seguinte maneira: tome menos refrigerantes e mais sucos naturais, pois do dinheiro que você paga pelo refrigerante, só um percentual mínimo vai para o agricultor que plantou a fruta. A maior parte daquilo que você paga por aquele líquido que engorda, dá celulite e gases e ainda facilita a ocorrência de cáries, fica mesmo é com a propaganda, no processo industrial, na rede de distribuição e principalmente, na remuneração do capital necessário para construir e manter as enormes indústrias poluidoras que os fabricam. Se você tomar suco natural, de preferência feito em casa, na hora, além de muito mais saudável, uma parte muito maior do seu dinheiro irá para o produtor daquela fruta, que é um agricultor que continuará morando e dando emprego lá no meio rural, feliz da vida. E não compre as frutas nos hiper-super-monstros-mercados, faça isso na quitanda da esquina, que dá mais empregos perto da sua casa, para gente que está mais próxima de você. Além do que, é mais provável que esta quitanda compre boa parte dos seus produtos de agricultores locais, diminuindo os intermediários.Vejamos agora o problema dos lixões. Coloque na sua cabeça para sempre: tudo o que você consome tem de ser descartado em algum lugar. Por isso, consuma a menor quantidade possível de plásticos, borrachas sintéticas e outros produtos não recicláveis, evite desperdiçar vidro, latas, papéis e papelão também. Reutilize tudo que puder. Use guardanapo de pano. Use tecido de algodão ou outra fibra natural (rami, seda, linho, juta, lã) e não sintético, que demora muito mais para degradar. Se puder ter uma pequena horta ou jardim, aprenda a utilizar os restos orgânicos (cascas, restos de comida, pó de café) como excelente adubo que são. Prefira sempre consumir produtos "in natura". Não gaste o seu dinheiro nas embalagens (geralmente de plástico ou de papel, vindas de indústrias extremamente poluidoras), mas sim no conteúdo, ou seja, faça o iogurte em casa, use mel no lugar do açúcar, coma pão fresco e não de forma, coma muita verdura, legumes, frutas, cereais e menos enlatados. Você poluirá menos e ainda viverá para ver!Quanto à poluição dos rios, as indústrias têm culpa, mas você também. É o seu esgoto que vai para o rio. Por isso, você pode fazer a sua parte usando sabão de coco ao invés de sabão em pó e procurando sempre produtos biodegradáveis. Imagine quantos coqueiros precisarão ser plantados se 10% dos gastos com sabão em pó forem destinados ao velho e bom sabão de coco! E não ponha a responsabilidade nos outros que não fazem, dê o exemplo e depois cobre dos outros.No caso da extinção de espécies animais e vegetais, isso acontece quando a humanidade coloniza um ambiente natural. Bem, se queremos comer temos que plantar e para plantar precisamos desmatar; se queremos tomar banho quente e assistir à novela das oito, precisamos de energia elétrica e para isso temos de construir hidrelétricas que invadem imensas áreas, causando um enorme impacto ambiental. O que você pode fazer?! Deixar de comer não dá, então apague a luz ao sair, tome banhos menos demorados, economize! Assista menos televisão e aproveite o tempo que sobrar para conversar com seus filhos, pais, esposo, esposa, amigos ..., seres de carne e osso.Finalmente, não é o caso de dizer que o progresso é ruim, mas cada um de nós tem de assumir sua parcela de responsabilidade pelo ambiente. Lembrem-se que a Terra é finita, não podemos explorá-la indefinidamente sem pagarmos um preço por isso. Hoje, assim como você, existem milhares de pessoas preocupadas com o futuro do nosso planeta. Se cada um fizer a sua parte, começando em casa, com certeza este futuro existirá.

Alfredo José Barreto Luiz
Pesquisador do CNPMA
[
© Copyright  Mário Olímpio 2003-2014
INDEXBrasil - Serviços de Internet.
Todos os direitos reservados, permitida a cópia de
conteúdos, desde que divulgada a fonte.
e-mail:redacao@serratalhada.net