PÁGINA INICIAL
  Bate-Papo
  Jogos Online
  NOTÍCIAS DE CAPA
  O MUNDO
  BRASIL
  POLÍTICA
  CRESCIMENTO PESSOAL
  MEIO AMBIENTE
  BONS NEGÓCIOS
  CIDADE
  NOSSA GENTE
  CULTURA
  FOTOS DE SERRA TALHADA
  ESTUDANTES NA REDE
  CÂMARA DOS DEPUTADOS
  TRADUTOR DE LÍNGUAS
  LISTA TELEFÔNICA
  FALE CONOSCO
  LOGIN
  WEBMAIL
          SITES ÚTEIS
Genealogia Pernambucana
Site Política para Políticos
Site Gramsci
Jornal do Comércio
Concursos Públicos
Site Jurídico.com
Site Jornal Digital
Site Correio da Cidadania
Site Carta Capital
Site Caros Amigos
Site Futbrasil.com
História de Serra Talhada
Site da IstoÉ
Site Veja Online
Site O Dia
Estatística do site
Casa da Cultura Serra Talhada
Busca de CEP
Trabalhos Escolares
Rádio Cultura FM
Rádio Lider do Vale FM
Rádio Vilabela FM
Rádio Serra Talhada FM
Rádio Nova Gospel
Rádio A Voz do Sertão
Pyongyang diz ter superado problemas para fabricar bomba atômica

Por: da France Presse, em Seul (Coréia do Sul)
A Coréia do Norte declarou hoje ter superado "todos os obstáculos técnicos" para a fabricação da bomba atômica a partir do plutônio extraído de barras de combustível irradiado.
A agência de notícias oficial, KCNA, afirmou que foi feita a reciclagem de 8.000 barras de combustível nuclear terminal e que a Coréia do Norte começou a utilizar os materiais extraídos para fabricar bombas nucleares.

O Ministério das Relações Exteriores norte-coreano declarou ontem que o país terminou a reciclagem de 8.000 barras de combustível nuclear para poder fabricar cinco ou seis bombas e deu a entender que havia começado a utilizar o plutônio para produzir armas atômicas.

Oficialmente, em princípio, o combustível devia ser utilizado para fins civis, na produção de eletricidade no reator de cinco megawatts de Yongbyon, 90 km ao norte de Pyongyang.

Preocupantes

Segundo a KCNA, o reator, que teria um "papel-chave" no conjunto da cadeia de atividades nucleares, reiniciou suas operações de maneira normal e está pronto para continuar obtendo plutônio de outras barras de combustível irradiado.

O secretário de Estado americano, Colin Powell, considerou que são muito preocupantes as afirmações de Pyongyang sobre a reciclagem do combustível, principalmente porque não se pode confirmar sua veracidade.

Powell disse que os Estados Unidos continuarão trabalhando com a Coréia do Sul, Japão e China para tentar encontrar os meios para convencer a Coréia do Norte a pôr um fim a suas ambições nucleares.

O Japão lamentou hoje o anúncio da reciclagem das 8.000 barras, mas reconheceu não "provas tangíveis".

Crise

A ministra japonesa das Relações Exteriores, Yuriko Kawaguchi, estimou que esta declaração vai contra as conversações organizadas no final de agosto, em Pequim, pelos seis países envolvidos na crise nuclear norte-coreana (as duas Coréias, China, Estados Unidos, Japão e Rússia).

A crise nuclear explodiu em outubro de 2002, quando Washington acusou Pyongyang de ter reiniciado seu programa nuclear violando assim um acordo bilateral de 1994.

Em seguida, a Coréia do Norte se retirou do Tratado de Não-Proliferação Nuclear e reconheceu suas intenções quanto à obtenção de armas nucleares.

Alguns analistas estimaram que essas declarações buscam reforçar a posição de Pyongyang em futuras negociações, tática utilizada regularmente pelo regime norte-coreano.
© Copyright  Mário Olímpio 2003-2014
INDEXBrasil - Serviços de Internet.
Todos os direitos reservados, permitida a cópia de
conteúdos, desde que divulgada a fonte.
e-mail:redacao@serratalhada.net