PÁGINA INICIAL
  Bate-Papo
  Jogos Online
  NOTÍCIAS DE CAPA
  O MUNDO
  BRASIL
  POLÍTICA
  CRESCIMENTO PESSOAL
  MEIO AMBIENTE
  BONS NEGÓCIOS
  CIDADE
  NOSSA GENTE
  CULTURA
  FOTOS DE SERRA TALHADA
  ESTUDANTES NA REDE
  CÂMARA DOS DEPUTADOS
  TRADUTOR DE LÍNGUAS
  LISTA TELEFÔNICA
  FALE CONOSCO
  LOGIN
  WEBMAIL
          SITES ÚTEIS
Genealogia Pernambucana
Site Política para Políticos
Site Gramsci
Jornal do Comércio
Concursos Públicos
Site Jurídico.com
Site Jornal Digital
Site Correio da Cidadania
Site Carta Capital
Site Caros Amigos
Site Futbrasil.com
História de Serra Talhada
Site da IstoÉ
Site Veja Online
Site O Dia
Estatística do site
Casa da Cultura Serra Talhada
Busca de CEP
Trabalhos Escolares
Rádio Cultura FM
Rádio Lider do Vale FM
Rádio Vilabela FM
Rádio Serra Talhada FM
Rádio Nova Gospel
Rádio A Voz do Sertão
TERRA : PLANETA ÁGUA

Por: Inocêncio Oliveira - DEPUTADO FEDERAL POR PERNAMBUCO (PMDB)
Neste nosso País tropical, podemos dizer sem ufanismo que o Brasil é um território privilegiado em termos de recursos hídricos.
Terra: planeta água


A Unesco, órgão das Nações Unidas para a educação, a ciência e a cultura, estabeleceu que a água, recurso insubstituível da natureza, deve ser enfocada sob uma perspectiva local e também global, de modo a ser compartilhada e gerenciada em termos construtivos e racionais. Os dados da ONU estimam que cerca de 50 % das doenças e da mortalidade nos países em desenvolvimento ocorrem por falta de água potável ou por sua contaminação.

O crescimento vertiginoso da população mundial e os elevados níveis de poluição, causados pela industrialização, tornam a água o recurso natural mais estratégico em potencial do planeta. Neste planeta Terra, que poderia ser chamado de "planeta água" por ter 2/3 de superfície líquida, a limitação dos recursos hídricos, os conflitos entre alguns usos, os desperdícios e os excessos causados por utilizações indevidas são fatores que impõem um planejamento a cada dia mais eficiente dos órgãos governamentais e uma responsabilidadesocial para satisfazer às crescentes necessidades do consumo humano e das atividades produtivas em geral na exploração das águas.

Neste nosso País tropical, podemos dizer sem ufanismo que o Brasil é um território privilegiado em termos de recursos hídricos, pois nossas reservas de água doce equivalem a 11,6 % do planeta. Como parte dessas riquezas também temos o maior rio do Mundo, o Amazonas, e o maior reservatório de água subterrânea da terra - o Sistema Aqüífero Guarani. Mas, a consciência crítica nos faz lembrar que a água doce está concentrada em 70% na Amazônia, onde vivem apenas 7% da população brasileira, enquanto as reservas do Nordeste somam tão somente 3% do total das águas.

A questão geográfica soma-se à administração dos recursos hídricos e está refletida na escassez de água em vários pontos do País. São fatores a serem administrados com políticas públicas eficazes. Com 165 mil quilômetros de superfície, o Pantanal mato-grossense é o maior sistema de áreas alagadas do planeta e em seu biomaconvivem milhares de seres vivos, macros e microorganismos da fauna e da flora nacional. Ambientalistas de todo o mundo e cientistas da Universidade das Nações Unidas com sede em Tóquio, no Japão, alertam sobre o risco de desequilíbrio nos ecossistemas do Pantanal diante do aquecimento global do planeta e de explorações econômicas inadequadas na região.

A seca no Nordeste é um fenômeno climático cuja solução estrutural requer a perenização de rios, construção de barragens e adutoras, aproveitamento dos lençóis freáticos subterrâneos e intensificação das culturas agrícolas e pecuárias adequadas ao semi-árido. A abrangência do pacto federativo no Brasil passa pela redenção econômica e social do Nordeste. Os custos econômicos e financeiros seriam inferiores ao percentual de 1% dos juros públicos em um ano. Ao mesmo tempo devo alertar que num País com déficit crônico de saneamento básico, em que 90% dos esgotos são despejados nos rios, lagos e mares, ainda estamos engatinhando em termos de sanidade ambiental ede tratamento racional dos recursos da natureza. As ações do Ministério do Meio Ambiente, através do Conselho Nacional dos Recursos Hídricos e da Agência Nacional de Águas, irão merecer votos de louvor e de credibilidade da sociedade brasileira, na medida em que forem implementadas políticas eficazes de estímulo e de revitalização do pacto das águas.

PUBLICADO NO DIARIO DE PERNAMBUCO EM:08/05/2005

© Copyright  Mário Olímpio 2003-2014
INDEXBrasil - Serviços de Internet.
Todos os direitos reservados, permitida a cópia de
conteúdos, desde que divulgada a fonte.
e-mail:redacao@serratalhada.net