PÁGINA INICIAL
  Bate-Papo
  Jogos Online
  NOTÍCIAS DE CAPA
  O MUNDO
  BRASIL
  POLÍTICA
  CRESCIMENTO PESSOAL
  MEIO AMBIENTE
  BONS NEGÓCIOS
  CIDADE
  NOSSA GENTE
  CULTURA
  FOTOS DE SERRA TALHADA
  ESTUDANTES NA REDE
  CÂMARA DOS DEPUTADOS
  TRADUTOR DE LÍNGUAS
  LISTA TELEFÔNICA
  FALE CONOSCO
  LOGIN
  WEBMAIL
          SITES ÚTEIS
Genealogia Pernambucana
Site Política para Políticos
Site Gramsci
Jornal do Comércio
Concursos Públicos
Site Jurídico.com
Site Jornal Digital
Site Correio da Cidadania
Site Carta Capital
Site Caros Amigos
Site Futbrasil.com
História de Serra Talhada
Site da IstoÉ
Site Veja Online
Site O Dia
Estatística do site
Casa da Cultura Serra Talhada
Busca de CEP
Trabalhos Escolares
Rádio Cultura FM
Rádio Lider do Vale FM
Rádio Vilabela FM
Rádio Serra Talhada FM
Rádio Nova Gospel
Rádio A Voz do Sertão
AFONSO MAGALHÃES

Por: Câmara de Vereadores
BIOGRAFIA
AFONSO MAGALHÃES

BIOGRAFIA

Sem diminuir os méritos de Santos Dumont, considerado o pai da aviação, cujo nome foi dado a esta Avenida, justifica-se plenamente a substituição de seu nome pelo de Afonso Magalhães, por se tratar de um nome ligado à família tradicional e fundadora deste Município, que é a família Magalhães.

AFONSO MAGALHÃES, como agricultor e fazendeiro, soube ser amigo dos seus companheiros de labuta, como comerciante; como vereador, representou e defendeu os interesses do povo com honradez e dedicação durante seu quatriênio ao lado de seus colegas Miguel Nunes de Souza, de saudosa memória, Custódio Conrado, Silvino Cordeiro de Siqueira, Givaldo Andrada Araújo, Moacir Godoy, Didácio Ferraz, Agustinho Pereira de Lima e Manoel Alves de Carvalho Barros, como chefe de família numerosa, deu um ótimo exemplo de dedicação e honradez, e, com sacrifício tudo fez pela educação de seus filhos, fazendo com que sua família fosse dignamente representada.

BIOGRAFIA DE AFONSO MAGALHÃES II




“É maravilhoso ensinar quando se faz o que diz”. Santo Inácio.



Afonso Arcôncio de Magalhães – Patrono da cadeira nº 18 da Academia Maçônica de Letras de Olinda – Fundada em 12 de março de 2002, na Sede própria da Augusta e Respeitosa Loja Maçônica “12 de Março de 1537”, nº 2.629; a qual foi fundada aos 12 de março de 1978; sob os auspícios das AAG... Rresp... LLoj... SSimb... “Restauração Pernambucana”, nº 19 e “Jesus de Nazaré”, nº 33. As Lojas em epígrafe, pertenciam a Obediência Maçônica da Sereníssima Grande Loja de Pernambuco; sendo esta última hoje pertencente a Potência Maçônica Grande Oriente do Brasil, em Pernambuco, com número de ordem 2422, sede própria no Palácio da Fraternidade Grão-Mestre Mozyr Jatahy de Sampaio.

Afonso Magalhães, brasileiro, falecido aos 23 de junho de 1967, oportunidade em que passou para o Oriente Eterno, em sua residência à Rua 15 de novembro nº 830, Serra Talhada, Pernambuco, sua querida terra Natal.

Afonso, exerceu as seguintes atividades: Comerciante; Conselheiro Municipal; Vereador; Capitão da Guarda Nacional; Fazendeiro e Criador de gado e outros animais; e Fiscal de Rendas do Município.

Afonso, quando se reunia com seus descendentes e amigos locais, afirmava que “Os animais irracionais eram mais dóceis do que os homens de mentes obscuras”. Sempre combateu a ignorância (em todas as suas formas), serviu orientando e viveu servindo à sociedade do seu tempo. Um autodidata, escrevia muito bem e tinha uma bonita caligrafia. Um verdadeiro rábula, pois sua palavra perante as autoridades da municipalidade onde vivia era tida e recebida como “chave para abrir caminhos” das soluções aos munícipes da sua amada “Villa Bella”, hoje indômita e altaneira cidade de Serra Talhada, do Sertão pernambucano.
“Serra Talhada, berço esplêndido!
Homens que fizeram sonhar com a República
Viu atingir o topo da Glória.
Lá ele nasceu.
Serviu de berço aquele chão.
Luz, sempre carregou, substancialmente.
Iluminada mente e coração fraterno,
Alma pura e limpa!
Criativo e de Espírito Verdejante!
Ninguém passou fome...
Tendo antes ido à casa Grande do meu avô
Afonso Magalhães, de moral ilibada,
Quando os Romeiros do Padre Cícero Romão Batista
Chegavam em grandes levas à sua casa,
Ordenava para minha avó Edvirges:
“Bote comida para todos eles!”.
Não era somente grande na mente,
Muito maior no seu coração de gigante!
Ordenando, em seguida, ao seu capataz Horácio,
Vaqueiro da Fazenda Pitombas:
Coloque um quilo de cada cereal na sacola peregrina.
Levando os alimentos (Feijão, Milho, Arroz e Farinha),
para receber a benção do Padre Cícero,
tudo seria fortuna na casa.
Comer, doar – não lhe faltava!
Deus abençoou Afonso Magalhães.
E o tenha em um bom lugar.
Na Mansão Celestial descanse na paz do Senhor Jesus
Cristo – Filho Unigênito do Pai Eterno!


“O homem descobre os caminhos de maneira misteriosa”. Raquel de Queiroz.

Fraternalmente,


Zenóbio de Magalhães (*)


(*) – Acadêmico da Cadeira 18, da Academia Maçônica de Letras de Olinda – Pernambuco.

© Copyright  Mário Olímpio 2003-2014
INDEXBrasil - Serviços de Internet.
Todos os direitos reservados, permitida a cópia de
conteúdos, desde que divulgada a fonte.
e-mail:redacao@serratalhada.net