PÁGINA INICIAL
  Bate-Papo
  Jogos Online
  NOTÍCIAS DE CAPA
  O MUNDO
  BRASIL
  POLÍTICA
  CRESCIMENTO PESSOAL
  MEIO AMBIENTE
  BONS NEGÓCIOS
  CIDADE
  NOSSA GENTE
  CULTURA
  FOTOS DE SERRA TALHADA
  ESTUDANTES NA REDE
  CÂMARA DOS DEPUTADOS
  TRADUTOR DE LÍNGUAS
  LISTA TELEFÔNICA
  FALE CONOSCO
  LOGIN
  WEBMAIL
          SITES ÚTEIS
Genealogia Pernambucana
Site Política para Políticos
Site Gramsci
Jornal do Comércio
Concursos Públicos
Site Jurídico.com
Site Jornal Digital
Site Correio da Cidadania
Site Carta Capital
Site Caros Amigos
Site Futbrasil.com
História de Serra Talhada
Site da IstoÉ
Site Veja Online
Site O Dia
Estatística do site
Casa da Cultura Serra Talhada
Busca de CEP
Trabalhos Escolares
Rádio Cultura FM
Rádio Lider do Vale FM
Rádio Vilabela FM
Rádio Serra Talhada FM
Rádio Nova Gospel
Rádio A Voz do Sertão
MANOEL RODRIGUES UMA VIDA DEDICADA AO TRABALHO.

Por: Tacisio Rodrigues
Dia a dia enraizava-se na cidade, até que, transformou-se em serra-talhadense, quando a Câmara de vereadores diplomou-o como cidadão, além de diversas homenagens já recebidas, pelos seus serviços à cidade.
MANOEL RODRIGUES
“UMA VIDA DEDICADA AO TRABALHO”

O dia era 02 de fevereiro, corria o ano d 1950, quando o sr. Manoel Rodrigues chega a Serra Talhada. Vinha através de um irmão, que abrira uma loja, uma “casa de couro”, mais especificamente. Na época a região fervilhava de sapateiros, que dependiam de mercadorias vindas da capital, e o deslocamento, naquela época, não se fazia com tanta facilidades como hoje.
Para atender a estes consumidores nasceu A Pajeú, exatamente no dia 02 de fevereiro de 1950, no mesmo dia da sua chegada à cidade.
Lembra ele: “Desci do caminhão da mudança e fui direto para loja, enquanto a mulher cuidava de arrumar a mudança e os meninos”
Chegavam de Afogados da Ingazeira, mais propriamente da roça. Ele a esposa e 6 filhos, todos pequenos. O mais novo tinha pouco mais de 6 meses. Ele com então 36 anos e sua esposa, D. Quitéria Rodrigues, com 28. Aceitaram o convite para vir tomar conta da loja porque tinham seus sonhos: Queriam que os filhos estudassem, não desejavam para eles o destino da roça, neste sertão árido. Estavam decididos a mudar de vida, e com este pensamento estavam aqui.
Não demorou, e em pouco mais de dois anos, de simples funcionário, Manoel Rodrigues transformar-se em sócio, sociedade que durou também pouco mais de dois anos, e ele comprava a parte do seu irmão e passava a ser o único proprietário da loja. Progredira. A família também crescera, em 1954 os seis filhos já eram oito.
Ele lembra que no início ainda pensou em voltar. Era dar os estudos necessários aos filhos e voltar para seu pedacinho de terra. Mas, foi ficando, foi criando raízes em Serra Talhada, foi se apegando, e a família foi crescendo, chegou a onze filhos, destes, cinco nascidos em Serra Talhada, não era portanto um “forasteiro”, já se sentiu da terra.
Seu comércio prosperou. Conseguiu realizar seu sonho: Educou os filhos. “Fui mais longe do que pensava” lembra ele e continua: “no início pensava em dar-lhes apenas a educação fundamental, mas, graças a Deus, Serra Talhada deu-me condições de mandá-los par o Recife, pude realizar meu sonho e de minha esposa, consegui formá-los”.
Dia a dia enraizava-se na cidade, até que, transformou-se em serra-talhadense, quando a Câmara de vereadores diplomou-o como cidadão, além de diversas homenagens já recebidas, pelos seus serviços à cidade.
Hoje é o comerciante mais velho da cidade, e sua firma também, fincada no coração comercial desde 1950, e ele, já com seus 90 anos de idade continua ativo, indo diariamente no seu comércio, acompanhando de perto seus negócios, mesmo afirmando “já ter passado para os meninos”
Não cansa de afirmar que deve muito a Serra Talhada, e lembra: “quando chequei aqui, isto tudo era muito pequeno, uma cidadezinha, mas, uma coisa me dizia que cresceria, e cresceu, cresceu muito, e graças a Deus, cresci com ela”.
O Sr. Manoel Rodrigues, é sem duvida um daqueles serra-talhadenses por adoção, que muito contribui com o desenvolvimento da cidade, e, que por isto mesmo terá sempre o eterno agradecimentos de seus conterrâneos”
© Copyright  Mário Olímpio 2003-2014
INDEXBrasil - Serviços de Internet.
Todos os direitos reservados, permitida a cópia de
conteúdos, desde que divulgada a fonte.
e-mail:redacao@serratalhada.net