PÁGINA INICIAL
  Bate-Papo
  Jogos Online
  NOTÍCIAS DE CAPA
  O MUNDO
  BRASIL
  POLÍTICA
  CRESCIMENTO PESSOAL
  MEIO AMBIENTE
  BONS NEGÓCIOS
  CIDADE
  NOSSA GENTE
  CULTURA
  FOTOS DE SERRA TALHADA
  ESTUDANTES NA REDE
  CÂMARA DOS DEPUTADOS
  TRADUTOR DE LÍNGUAS
  LISTA TELEFÔNICA
  FALE CONOSCO
  LOGIN
  WEBMAIL
          SITES ÚTEIS
Genealogia Pernambucana
Site Política para Políticos
Site Gramsci
Jornal do Comércio
Concursos Públicos
Site Jurídico.com
Site Jornal Digital
Site Correio da Cidadania
Site Carta Capital
Site Caros Amigos
Site Futbrasil.com
História de Serra Talhada
Site da IstoÉ
Site Veja Online
Site O Dia
Estatística do site
Casa da Cultura Serra Talhada
Busca de CEP
Trabalhos Escolares
Rádio Cultura FM
Rádio Lider do Vale FM
Rádio Vilabela FM
Rádio Serra Talhada FM
Rádio Nova Gospel
Rádio A Voz do Sertão
COM O CORAÇÃO NA ETERNIDADE

Por: M.O
Caminhemos, pois, com os pés no chão e o coração na eternidade!
COM O CORAÇÃO NA ETERNIDADE
Quanto mais sei, mais sei que nada sei”, confessou Thomas Edison, numa assertiva que revelava sua natureza não apenas de cientista, mas também de sábio. Porque, tanto o cientista sábio como também os santos, sempre se mostraram humildes. Foi Jesus Cristo, o Salvador, quem legou ao mundo o exemplo máximo de humildade, de mansidão, de compreensão e de bondade, quando pronunciou suas últimas palavras neste planeta, ainda hoje tão assolado por injustiças: “Pai, perdoai-os, porque não sabem o que fazem”. A Sabedoria provém de Deus, e por isso mesmo tantos seres humanos, enquanto Instrumentos do Pai, transmitem ao mundo mensagens que, bem analisadas e apreendidas, ajudam a alcançar uma vida mais profícua,espiritualizada e feliz.
Assim, Freud, o pai da Psicologia, ensinou que “precisamos amar para não adoecer”, enquanto Chiara Lubich recomenda: “Caminhemos no tempo, com o coração projetado na eternidade.”, e nós respondemos em coro, em especial nas celebrações religiosas: “o nosso coração está em Deus”. Ensinamentos que vêm a aprofundar a constatação de que não somos seres terrenos passando por uma experiência espiritual, mas sim seres espirituais passando por uma experiência terrena.
A história de Lázaro, revelada na Bíblia Sagrada, indica que é principalmente nesta efêmera caminhada terrena que devemos praticar o bem, sob todas as formas, viabilizando com isso nossa entrada no paraíso eterno, quando para lá nos chamar o Criador. Mas, como faremos isso? Exatamente caminhando com os pés no chão, isso é, cumprindo as tarefas que nos cabem realizar, e realizando-as com respeito, com humanidade e com o intuito de servir; com amor, afinal. Porque esse Dom é o elo natural que nos mantém em contato com o Eterno, como apregoou o apóstolo João.
Conta-se que uma floresta de cedros, que circundava um Mosteiro situado em zona rural, havia sido devastada por um incêndio, que transformou em cinzas todas as árvores. O mestre, pessoa muito sábia e de idade avançada, determinou que seus discípulos iniciassem imediatamente o replante das árvores. “Mas mestre, esses cedros levam dois mil anos para crescer!”, ponderou um dos discípulos. “Sendo assim, não há um minuto a perder. Vamos começar imediatamente”, decretou o Mestre.
A doação é a face mais importante do amor, porque quem ama compreende que esse sentimento não se completa sem partilha. É a doação-sorriso; a doação-palavra; a doação-resignação; a doação de bens materiais. É como uma fonte de água cristalina, que não cumpre sua finalidade enquanto suas águas não estiverem desempenhando seu papel de saciar a sede de alguém ou de algo. Aí ela se plenifica em beleza e produção.
Assim, nós, humanos, quando desejamos sinceramente doar, ao invés de receber, no fundo desse desejo está a crença de que temos abundância de coisas, e por isso queremos reparti-las. Nosso subconsciente sabe o que fazer com as crenças que nele estão arraigadas, e assim cria situações que as reflitam.
De modo que nossa disposição de doar dirige o Universo para que nos doe também. É comum ouvir-se: “Deus te dê em dobro”, quando doamos alguma coisa. Mas, com certeza, recebemos muito mais do que o dobro, porque somos também agraciados com os pensamentos e sentimentos de amor e de gratidão que nos são dirigidos, e aí se consubstancia a infinita e verdadeira riqueza.
Caminhemos, pois, com os pés no chão e o coração na eternidade!


© Copyright  Mário Olímpio 2003-2014
INDEXBrasil - Serviços de Internet.
Todos os direitos reservados, permitida a cópia de
conteúdos, desde que divulgada a fonte.
e-mail:redacao@serratalhada.net